About Us

Our work strives to enhance our sense of surroundings, identity and relationship to others and the physical spaces we inhabit, whether feral or human-made.

Selected Awards
  • 2004 — Aga Khan Award for Architecture
  • 2009 — Mies van der Rohe Award
  • 2013 — AIA/ALA Library Building Award
  • 2015 — Best Interior, Designers Saturday
  • 2016 — AIA New York Honor Award

Duas vozes que nos paralisam.

A voz da sociedade, da sua família, do seu pai, da sua mãe, do seu parceiro, dos seus amigos, do seu círculo profissional, da mídia, ou seja: os outros influenciam muito nossas vidas. 

 

Os outros têm muito poder sobre nós, e muitas, senão na maior parte do tempo, nos comportamos de uma maneira para agradar aos outros. Agradar aos outros não é errado, a menos que essa atitude nos force a esquecer quem realmente somos; porque se nos esquecemos de nós mesmos, de nos conhecermos, de nos descobrirmos, de atingirmos o nosso maior potencial, é isso que acaba nos paralisando. Perdendo-nos, perdendo a nossa essência, o nosso verdadeiro ser.


Por que viemos ao mundo? Qual é o nosso propósito na vida? O que nos deixa felizes? Qual é a nossa paixão? A Universidade de Stanford investigou isso e descobriu que menos de 20% das pessoas têm uma paixão, que a ajuda a organizar suas vidas, dar-lhes sentido, dizer-lhes: é para lá! Vamos lá!

 

Se você é daqueles que já encontraram, ótimo. Se você sempre soube que queria ajudar outras pessoas como médico e agora é cirurgião, ótimo. Mas há oito em cada dez pessoas que ainda não sabem e isso limita seu potencial.

 

Existe um mito de que nem todo mundo nasce com uma paixão, que isso é uma questão de sorte. “Que sorte você encontrou sua paixão”, dizemos quando vemos alguém feliz. Todos nós temos forças, todos nós; E todos nós temos uma paixão que devemos direcionar para um propósito de alcançar a realização.

Outra voz que surge na nossa cabeça, e que também começa fora de nós, é: A esta altura de tua vida, você já deveria saber o que quer. Em sua cabeça, há um dedo indicador que diz: Você já deveria ter seu relacionamento, sua carreira pronta, o sentido de sua vida resolvida.

A pressão social nos faz sentir que estamos sempre atrasados. Que nossa hora passou. Que nada pode ser mudado, que existe um único tempo ou idade para tudo. Como você vai mudar de profissão agora? Mas se você estudou direito por 8 anos! Você pode me dizer que agora você quer ser outra coisa? Esse é o segundo mito que nos condiciona, que nos paralisa.


Duas boas notícias:


1. Esses mitos são apenas mitos; eles não são reais.


2. Você pode encontrar sua paixão, seu propósito para organizar a sua vida, e não é tarde demais. Nunca é tarde.

Sabemos que a maioria das pessoas completa seu eu adulto até os meados dos 30 anos, às vezes o fazem apenas na casa dos 40. Mas você pode reinventar esse eu indefinidamente, quantas vezes quiser, e isso é muito bom! Seu eu é seu; não pertence a mais ninguém.

O mito do só alguns tem paixões e o mito do você está atrasado não são verdadeiros, porque a vida não é um problema a ser resolvido. A vida é uma aventura e você não pode ficar preso tentando resolvê-la. Nosso grande objetivo é viver plenamente para chegar ao fim e dizer: “Realizei meus sonhos, tive uma vida plena”.

E para ficar satisfeito, você tem que começar sendo claro sobre quem você é, para onde você esta indo e como vai chegar lá. Isso significa FOCO. Se organizar, ter um plano, executa-lo.

Está com vontade de outro tipo de terapia?

Se você quer resolver algum problema ou descobrir quem você é, no que você é bom e como tirar o melhor de você, me escreva. Podemos descobrir e trabalhar seus pontos fortes, sonhos e propósitos. Podemos planejar e projetar um futuro, ou dois, ou três e senti-los. 

Reuniões de trabalho

Nossas reuniões podem ser presenciais. Ou por Zoom, Google Meeting, Skype, Microsoft Teams, WhatsApp video, Messenger Video, etc.

Quer me escrever